Na Linha da Tormenta: Scharnhorst

Notícias Gerais
22.737

Assuma o comando do Scharnhorst!

A Cabeça do Cerberus

É raro um navio ser considerado genuinamente singular, mas o Scharnhorst, que podia ser considerado um cruzador pesado, couraçado e encouraçado, era exatamente isso. Os alemães o chamavam de mas para seus inimigos, ele era o terror dos mares. Seu desempenho em batalha provocava as forças aéreas dos Aliados que, por fim, acabariam levando-o para o fundo do Mar de Barents.

O Scharnhorst foi construído em 1935, lançado em 1936 e colocado em serviço no começo de 1939. Ele tinha 230 metros de comprimento, com um calado de 38.092 toneladas totalmente carregado, e seus motores de turbina a vapor, com potência de 160.000 cavalo-vapor, conseguiam impulsioná-lo a 31,6 nós.

Seu calado gerava discussões sobre sua classe exata e as autoridades alemãs se atrasaram ao decidir com que tamanho de canhões ele deveria ser equipado. Por fim, ele recebeu canhões de 11 polegadas e uma atualização planejada para canhões de 15 polegadas. Se a atualização tivesse ocorrido, ele provavelmente teria sido reclassificado como um encouraçado "completo". De qualquer modo, suas dimensões o tornavam um couraçado,  como mencionado.

Scharnhorst no porto Kiel

Scharnhost e sua embarcação-irmã Gneisenau começaram a ganhar fama por atacar navios mercadores e de guerra britânicos. O Scharnhost permaneceria no norte na maior parte da guerra, participando de ações no Atlântico, Mares Báltico e Norte, Canal Inglês e no Ártico. Seu maior destaque foi seu apoio à invasão da Dinamarca e Noruega.

Ele causou seu primeiro dano substancial quando o porta-aviões britânico Glorious e escoltas apareceram em 8 de junho de 1940. Scharnhorst e Gneisenau travaram combate com o Glorious e, apesar de afundarem os três navios britânicos, o Scharnhorst foi muito danificado por um torpedo. Depois de muitos reparos, ele participou de mais ataques ao comércio, antes de procurar abrigo em Brest, França, onde aguentou ataques aéreos contínuos dos Aliados. Como resultado, o comando alemão decidiu lançar a Operação Cerberus.

Durantes os bombardeiros, enquanto os navios estavam no porto em Brest, a Força Aérea Real enviou 3.599 surtidas de bombardeiros ao porto francês, soltando 4.118 toneladas de bombas no total.

A Operação Cerberus queria que três grandes navios de guerra voltassem às águas alemãs com uma "arremetida de canal" no estreio Canal Inglês. Apesar dos perigos inerentes, o Scharnhorst, junto com o Gneisenau e Prinz Eugen, conseguiram voltar para a Alemanha.

Durante a Operação Cerberus, depois de sair do porto, a Força Aérea Real enviou 400 surtidas de bombardeiros para atacar o Scharnhorst, mas a maioria nunca o encontrou.

Em fevereiro de 1942, o Gneisenau foi retirado de serviço por ataques aéreos britânicos, mas o Scharnhorst continuou atacando comboios dos Aliados no Ártico. Em dezembro de 1943, as forças Aliadas atacaram o Scharnhorst e suas escoltas na Batalha do Cabo Norte, que durou dois dias. Encurralado e com menos armamentos, o Scharnhorst foi enfraquecido e afundado com tiros e diversos acertos de torpedos.

Atualmente, o Scharnhorst está de cabeça para baixo no fundo do Mar de Barents, mas volta a navegar no World of Warships como um encouraçado Premium de nível VII. Seu armamento, design e velocidade exclusivos estão sob o seu comando.


Tim St. Arnold, nascido no Kansas, estudou história na Universidade de Nebraska-Lincoln, com antropologia e ciência política como cursos secundários. Na Wargaming, ele trabalha como pesquisador, aproveitando sua paixão por história militar e games. Procure-o nos mares do World of Warships como WG_Admiralty!

Fontes/Leituras extras

scharnhorst-class.co.uk

militaryfactory.com

historylearningsite.co.uk

history.navy.mil